quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Séries | The Walking Dead

Review | The Walking Dead 03x01 a 03x04

Com o início de uma nova temporada, praticamente temos o início de uma nova série. TWD retornou com um ritmo completamente diferente do que estávamos acostumados a ver. Nada de conversas desconexas e tramas que parecem
sem propósito. O pouco que vimos até aqui nesta 3ª temporada foi o que esperávamos de uma série sobre um apocalipse zumbi: ação, tensão, suspense e aquela sensação de e agora?! Não me entendam mal, eu gostei das duas primeiras temporadas de TWD, acho que era necessário que o inicio da história fosse com um ritmo mais calmo para que o telespectador se ambientasse com a trama, que pudesse criar um vínculo com algum personagem – embora isso não tenha se fortalecido -, era necessário que acordássemos com o mesmo sentimento de alienação do Rick. Precisávamos estar perdidos naquele mundo para entendermos o que se passava na cabeça de cada personagem. Talvez por isso The Walking Dead seja uma série divisora de opiniões;  uns entenderam a proposta dos roteiristas, enquanto outros pensaram que uma história sem introdução é uma história mal contada. Eu só consigo pensar em uma palavra pra resumir o que dá na cabeça de um roteirista ao decidir escrever uma série sobre zumbis: ousadia!

Já no começo dessa terceira temporada vimos que os nossos antes fazendeiros, agora viraram nômades. Não existe mais lugar seguro no mundo, todos estão exaustos, a ponto de desistirem. Então, eis que surge a esperança: uma prisão, com grades de aço, muros altos e repleta de walkers do BOPE. E é nessa mesma prisão que pudemos observar
a evolução de vários personagens, Carol deixando de ser uma típica housewife e tornando-se uma atiradora experiente, Lori desfilando com seu barrigão um pouco menos chata, Carl ficando Bad-ass, até a Beth já parece estar acostumada a matar alguns walkers e o T-dog, bem, seria pedir demais uma utilidade para ele. Em meio a todo caos de ocupação da prisão o pobre Herschel acaba perdendo parte da perna, mordida por um sleepwalker e decepada em seguida por Rick. Falando no xerife, é nele que a mudança de personalidade esta mais evidente; assim que ele se depara com Michael Scofield os prisioneiros sobreviventes, deixa em alerta o seu instinto de policial e não hesita em matar os caras logo que ele percebe que eles são uma ameaça. Agora essa é a nova realidade, quem tem mais sangue nas mãos é quem manda.

Em contraste, temos Andrea e Michonne (personagem muito esperada pelos fãs das HQs); as duas sobreviveram por meses sozinhas, camufladas em meios aos zumbis – pausa para elogiar os roteiristas por introduzirem essa sacada tão simples e inteligente-, porém, a curiosidade matou o gato e elas acabaram sendo capturadas pelo povo de Woodbury, cidade isolada do mundo apocalíptico e governada pelo (desculpe a redundância) governador. E esse parece ser um personagem chave para o ritmo da série; até agora o que era mais explorado em TWD era  dualidade das pessoas, ninguém era mocinho ou bandido, todos tinham seus motivos para cada ato cometido, no caso a própria sobrevivência. Não acho que ele possua aqueles sentimentos altruístas de proteção à comunidade que o próprio diz ter, ele me parece mais o cara que tem necessidade de poder, de controlar tudo e a todos a sua volta. Por isso que eu acho que ele vai combinar perfeitamente com a série; a guerra agora não será apenas por comida ou abrigo, mas também pelo controle das ações dos personagens. Não sei como vão interligar as duas histórias, não li as HQs, mas estou ansioso para o confronto Rick/Governador.E Pra finalizar tivemos um dos momentos mais críticos de TWD, a invasão da prisão de um grupo de Walkers. Enquanto Herschel treinava com as suas muletas e ninguém olhava para trás, uma horda foi aproximando-se lentamente e antes que eles pudessem pensar, o pânico tomou conta da galera. Não sei se eu sou um cara muito racional, mas a primeira coisa que me viria à cabeça seria entrar naquela gaiolinha pra onde a Beth e o Herschel foram, mas tudo bem, em meio ao caos e perigo iminente deve ser difícil de racionar logicamente. O fato é que a decisão de se esconder nos corredores escuros da prisão ocasionou a morte de dois personagens: Lori e T-Dog. Lori sempre foi uma personagem que causava certo desconforto nos fãs; contraditória, infiel e com pouquíssimo carisma, ela fez a alegria do povo ao ter uma das piores mortes de TWD (serio, se ele iria morrer de qualquer jeito, porque não atiraram na cabeça dela antes de mutilá-la?). Também tivemos a despedida de T-Dog, logo no episódio em que ele teve mais do que falas monossilábicas o cara mostrou que tinha um bom coração e se sacrificou pra salvar a housewife bad-ass Carol. Com isso tivemos o fim de um dos personagens mais mal aproveitados da história. Ou não.




 



R.I.P. Lori

O promo do próximo episódio, "Say the Word", você confere abaixo:



Gostou? Então compartilhe!

Comente com o Facebook:

Postagem em #destaque

Filmes | Pré-venda ‘Mulher-Maravilha’

PRÉ-VENDA DE INGRESSOS PARA MULHER-MARAVILHA [18 MAI 17]

#Enquete

Marque sua[s] saga[s] favorita[s]?
Star Trek
Star Wars
Harry Potter
Senhor dos Anéis
Toy Story
Indiana Jones
O Hobbit
Jurassic Park
Missão Impossível
007
Jason Bourne
Velozes e Furiosos
Transformers
Piratas do Caribe
Homem-Aranha
Batman
Homem de Ferro
X-Men
Crepúsculo
Era do Gelo
Shrek
Outra não listada
Votar
resultado parcial...

Marcadores

Arquivo do blog